OPÇÕES DE
ACESSIBILIDADE

Agroalimentario-Mz19

Volver

Este boletim emite-se de forma periódica no marco do projecto CRECEER, e nele se analisam oportunidades tecnológicas e comerciais que podem contribuir ao desenvolvimento de produtos agroalimentares gourmet em nossas zonas rurais.

O projecto CRECEER está cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

PRODUTOS AGROALIMENTARES GOURMET
Produção de queijo com animais alimentados com torta de colza

Descreve-se de forma detalhada o uso de torta de sementes de colza, prensada em frio, como produto para a alimentação de animais em instalações produtoras de queijo, em concreto da denominação de origem Idiazábal, e do azeite de colza como combustível para as explorações artesanais. O projecto reporta resultados favoráveis em projectos piloto a escala produtiva.

Ingredientes funcionais a partir de  uva e arandos

O mercado dos alimentos funcionais, aqueles enriquecidos com alguma substância benéfica para o organismo, tem grandes perspectivas, mas, ao mesmo tempo, está saturado com produtos todos eles similares. Os departamentos de investigação e desenvolvimento das indústrias agroalimentares procuram continuamente novos ingredientes diferenciados com os que atrair ao consumidor, que valoriza produtos de alto valor acrescentado. Estes ingredientes devem cumprir três condições: que sejam inovadores, que possuam propriedades saudáveis e que sejam de fácil produção. Nos últimos tempos, grande parte das investigações referem-se à produção de moléculas já presentes no reino vegetal, que são difíceis de sintetizar quimicamente. Recentes estudos mostram como moléculas pertencentes ao grupo dos estilbenos presentes em uva, arandos, etc., poderiam cumprir as propriedades requeridas aos novos ingredientes funcionais.

Mel de Córcega: um produto de alta qualidade a 25 euros o quilo.

Os artesãos do mel da ilha de Córcega têm conseguido contribuir grande valor ao mel produzido na ilha, que conseguem vender a 25-26 euros o quilo e, ademais, com a demanda superior à oferta. Os artesãos do mel consideram que grande parte do sucesso, além da ajuda que lhes supõe o turismo que visita a ilha, arraiga em caracterizar o mel que produzem, tanto desde o ponto de vista da flora como da variedade de abelha. A produção e o embalado são artesanais e costumam-nas executar os próprios artesãos do mel.

Os produtos gourmet são já parte de nossa compra

Fernando Balmaseda, director do Salão Gourmets, que celebrar-se-á em IFEMA do 8 ao 11 de abril de 2019, destaca em entrevista com Alimarket que é vital o apoio aos produtos gourmet em prejuízo da marca de distribuição: “A gastronomia tem adquirido notável importância sobretudo nos últimos anos. Actualmente os produtos gourmet são parte de nossa compra e mostra disso é que praticamente todos os supermercados contam com um espaço gourmet onde se podem encontrar alimentos e bebidas prémium que oferecem mais qualidade ao consumidor, sem esquecer as numerosas lojas gastronómicas. Segundo um relatório elaborado por Nielsen em 2017 estes produtos cresceram um 6% em frente aos convencionais já que contribuem confiança, estão dispostos a pagar mais por um produto elaborado com boa matéria prima e que tem superado rigorosos controles para garantir a máxima qualidade em provas com os sentidos. É fundamental apoiar ao produto gourmet em prejuízo da marca de distribuição.”

Turismo e Mindfulness, a chave para um turismo mais sustentável e profundo

Percebe-se um crescimento importante nos últimos anos das viagens focadas ao silêncio, à meditação ou aos retiros espirituais, acompanhados de ioga e, mais recentemente, de seminários de mindfulness. Estes turistas, durante suas viagens, procuram experiências mais autênticas, com maior contacto com as culturas e comunidades locais e, assim, viver de forma directa costumes e tradições. Também demandam actividades em contacto com a natureza, de desporto e de aventura.

“Bob Marley” cerveja com aroma de flores de cânhamo

Nortada, uma empresa portuguesa fabricante de cervejas, lança ao mercado “Bob Marley”, uma cerveja de produção artesanal na que, além dos ingredientes tradicionais: água, malte, lúpulo e levedura, incorpora flores de cânhamo (Cannabis Sativa L), que proporcionam um toque jovem, divertido e informal.

Colaboração entre produtores e chefs para a alta gastronomia

Está a produzir-se uma aproximação muito estreita entre a alta gastronomia e a produção de matérias primas de qualidade para cozinhar. O artigo relata experiências em Portugal de acordos entre chefs de prestígio e produtores agroalimentares, que proporcionam aos restaurantes matérias primas produzidas dacordo com as especificações dos chefs,para terminar propondo um produto de muito alta qualidade na mesa dos clientes. Uma aliança viável e proveitosa para ambas partes.

A economía circular empurra para o aproveitamento de subprodutos

O caminho para a economía circular, unido à consequente melhora de resultados que traz consigo o aproveitamento de resíduos, empurra às empresas agroalimentares a procurar, mediante novas tecnologias, possibilidades de aproveitamento aos subprodutos ou resíduos que se geram actualmente em processos agroalimentares, em forma de compostos com aplicação nos sectores de nutrição, saúde e/ou cosmético. Um exemplo é o projecto “Valorização de subprodutos de frutas para o desenvolvimento de Ingredientes Eficientes e Naturais para a Indústria Alimentar”, que desenvolvido em cooperação entre Zukán, Agroindustrial Kimitec e Doces e Conservas Helios, com Ainia como centro tecnógico, persegue pôr em valor os resíduos do processado de fruta (destríos, ossos, condensados,…) para desenvolver ingredientes bioactivos (pectinas, fracções aromáticas, compostos oxidantes,…) de alto valor acrescentado que possam ser utilizados no desenvolvimento de produtos biosaudáveis aplicáveis à alimentação humana.

CONVOCATORIAS
Subvenções para o financiamento de projetos destinados a promover a inovação cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)

Podem candidatar freelancers e PME que tenham a sua sede social ou pelo menos um centro de trabalho em Castilla y León. Comunidades de propriedade, sociedades civis, fundações e associações sem fins lucrativos são excluídas.

O beneficiário deve apresentar o pedido de subvenção antes de iniciar o trabalho no projeto.

Os projectos elegíveis consistiriam na prestação de serviços avançados de aconselhamento e assistência técnica destinados a: protecção dos direitos de propriedade industrial, acesso a deduções fiscais para o desempenho de actividades de investigação e desenvolvimento (I&D) e de inovação tecnológica (TI), assessorando a empresa na inovação, a fim de implementar nela um sistema de eficiência produtiva e/ou melhoria organizacional, e assessoria à empresa em inovação em seus processos de gestão e organização através da implementação do soluções de computação em nuvem.

A concessão das subvenções será realizada em sistema licitatório não competitivo de acordo com sua ordem de apresentação, conforme art. 34 da Lei 13/2005, de 27 de dezembro, e se a documentação está completa e levando em conta a disponibilidade orçamentária 

A ajuda consistirá numa subvenção não reembolsável, que será determinada como uma percentagem fixa de 65% a aplicar ao custo elegível, que poderá atingir 75%, dependendo da localização do projeto.

As candidaturas podem ser apresentadas até à publicação do convite para substituir o presente ou a publicação do fechamento do mesmo. 

As condições acima são um resumo não exaustivo de natureza consultiva. Para maior precisão, consulte as informações e documentação disponíveis neste link

SERVIÇO DE VIGILÂNCIA COMPETITIVA

Pode visualizar boletins anteriores fazendo clique AQUI

Se deseja não receber mais boletins, envie um correio à direcção info@creceer.org com o assunto “BAIXA BOLETIM”.

Para mais informação sobre o projecto  CRECEER visite nosso site https://creceer.org